Notícias arquia / investigação


CERIMÓNIA DE ENTREGA III BOLSA DE INVESTIGAÇÃO EM NOVA IORQUE 2017

06 JULIO 2017 / INVESTIGAÇÃO

A III convocatória da bolsa de Investigação em Nova Iorque 2017, promovida pela Fundação Arquia e pela Real Academia de Belas-Artes de São Fernando, encerrou no dia 5 de maio de 2017, tendo sido recebido um total de trinta e cinco projetos de investigação. Na quarta-feira 5 de julho realizou-se a cerimónia de entrega da bolsa à arquiteta Ángela Juarranz Serrano.

O júri da terceira edição da Bolsa de Nova Iorque – composto por Fernando de Terán (Diretor da Real Academia de Belas-Artes de São Fernando), Sol Candela Alcover (Patrona da Fundação Arquia), Juan Navarro Baldeweg (arquiteto, Membro permanente da Real Academia de Belas-Artes de São Fernando) e Gerardo García-Ventosa (Diretor da Fundação Arquia), reuniu-se na passada sexta-feira 9 de junho de 2017 na sede da Fundação Arquia em Madrid.

Por unanimidade, o júri decidiu atribuir a bolsa de investigação em Nova Iorque 2017 ao projeto The New York Factory. Laboratorio de estrategias arquitectónicas 1960-actualidad, de Ángela Juarranz Serrano, arquiteta diplomada na ETSAM. Da mesma forma, elegeu como suplente o projeto Leftovers. Exploring the byproducts of the grid , da arquiteta Marta López Marcos e atribuiu as seguintes menções: Habitar en la era digital. Modelos colaborativos para la ciudad de Nueva York da arquiteta Lucía de Molina Benavides; De Olivia Russell Sage a Jane Jacobs: mujeres en las redes internacionales del urbanismo, da arquiteta María Cristina García González; Arquitectura de la experiencia. Por una didáctica del espacio, da arquiteta Queralt Garriga Gimeno e John Cage, la no-música de la no-arquitectura do arquiteto Miguel Guerra Mirón.

O projeto vencedor, The New York Factory. Laboratorio de estrategias arquitectónicas 1960-actualidad, de Ángela Juarranz, integra a sua tese de doutoramento Architectural Strategies in the Art and Technology Assembly after the Happening , uma investigação teórico-prática que nasce da confluência do trabalho criativo e progresso tecnológico ao serviço da sociedade e que, no caso nova-iorquino, desenha um laboratório de estratégias de desenvolvimento arquitetónicas no mundo contemporâneo.

A arquiteta Ángela Juarranz recebeu a bolsa das mãos de Fernando de Terán, Diretor da Real Academia e de Javier Navarro Martínez, Presidente da Fundação Arquia, na cerimónia de entrega realizada na Academia, na passada quarta-feira, 5 de julho.

 

mi área privada