Becas 2008


150%

José Antonio Sosa Díaz‐Saavedra, arquiteto

Reduzir o consumo do solo, o consumo de novos territórios, sem diminuir o crescimento demográfico tem como resultado matemático aumentar a densidade das áreas edificadas. Habitualmente esta fórmula traduz-se no incremento da altura dos novos edifícios através da substituição dos existentes ou mesmo criando novas áreas de expansão. Mas o que acontece à cidades já construída? É possível atuar nela sob estas premissas sem necessidade de demolir o já edificado?

Reciclar é dar nova vida ao existente. Muitas áreas urbanas de baixa densidade populacional suportariam ou melhorariam as suas condições com a injeção de novos espaços habitacionais ou com o aumento da superfície de habitações existentes destinadas a melhorar as condições sociais dos seus habitantes. Áreas de pouco uso, vazias, sem a densidade necessária para gerar vida urbana: centros históricos com pouca densidade, urbanizações ajardinadas, ampliações de pouca altura, conjuntos arquitectónicos…

A reflexão geral que se propõe parte da aplicação deste questionamento a áreas já construídas: atuar nos edifícios existentes colonizando os seus telhados, suspender ou aplainar as suas fachadas, construir sob novas perspetivas de maior densidade em espaços vazios concretos de qualquer cidade… sobrepôr. Injetar novas densidades em áreas urbanas e aumentar as suas densidades edificatórias em 150%, é o objetivo proposto, sem perder de vista que o motivo último é a reciclagem da cidade existente, a poupança no consumo de novos solos.


Inauguração
  • ETSA Valencia: 30/10/2008
Itinerâncias
  • ETSA Valencia: 30/10/2008 - 30/11/2008
  • ETSA Sevilla: 02/02/2009 - 27/02/2009
  • ETSA Vallés: 16/03/2009 - 30/03/2009
  • ETSA Valladolid: 01/04/2009 - 30/04/2009
  • ETSA Las Palmas: 11/05/2009 - 03/07/2009
  • CTA Alicante: 16/07/2009 - 11/09/2009
 

mi área privada